segunda-feira, 30 de julho de 2007

Não estamos só

Encontrei este artigo da Forbes, publicado no MSNBC, que me pareceu muito interessante: veja aqui. Gostaria muito de ler os comentários do Sr. Joe Sharkey sobre este tema.
É um artigo de Mark Tatge and Emily Schmall publicado em 26/02/2007 cujo título é: “Os aeroportos mais perigosos da América: Viajantes aéreos enfrentam o maior risco de morte ou ferimento no solo”. Diz o texto: “Desde 2001, 108 viajantes morreram em colisões no solo envolvendo linhas aéreas comerciais. A maioria das mortes ocorreu em aeroportos altamente congestionados. A maioria, senão todos, dos acidentes poderiam ser evitados se os aeroportos tivessem equipamentos de monitoragem adequados.”
O artigo cita o caso da confusa tripulação do jato da Delta operado pela Comair em Lexington, Ky., em agosto de 2006, que tentou decolar pela pista 26 ao invés da pista 22, que lhe foi atribuída. A pista 26 era muito curta para uma decolagem, fazendo com que a aeronave ultrapassasse o final da pista, matando 47 passageiros e dois tripulantes. Se isto ocorresse no Brasil, provavelmente todos culpariam o comprimento da pista 26, porque seria um absurdo ter pistas com comprimentos diferentes e confundir os pobres pilotos.
Diz que os dois dos piores aeroportos dos EUA estão em Nevada e Califórnia. O Las Vegas Norte, conhecido como Northtown teve 63 incidentes desde 2001, resultando em 6 mortes. É seguido na classificação por Long Beach/Dougherty Field, com 78 incidentes, mas sem fatalidades. Nestes casos, diz o artigo, o congestionamento e alto tráfego levaram a este alto número de incidentes.
Segue o artigo dizendo que o aeroporto Douglas de Charlotte/North Carolina, normalmente um aeroporto seguro, ficou em segundo na lista, devido ao acidente de 2003 da US Airways Express. Uma aeronave chocou-se com um hangar durante a decolagem matando dois tripulantes e 19 passageiros. O acidente foi provocado pela manutenção do avião, não pelo aeroporto.
O artigo ainda cita Mary Schiavo, uma advogada ligada à aviação e ex-inspetora geral no Departamento Americano de Transporte, que diz não ter muita confiança na habilidade da burocracia governamental em resolver o problema. “Nós perdemos o controle… O problema é muito grande para a FAA administrar”, diz ela com sarcasmo. Eu não seria tão crítico como Mary, pois desta forma alguém poderia sugerir injustamente uma intervenção na FAA.
O problema para a solução destes problemas, segundo a FAA, é que as obras para melhorar os 38 maiores aeroportos dos EUA custarão $510 milhões. Parte destes custos será provavelmente repassada para os passageiros e companhias aéreas. Mesmo se o sistema tiver recursos, não estará pronto até 2011.
Já ouvi esta conversa em algum outro lugar, mas não me preocupo muito porque quando viajo aos EUA entrego meu destino a Deus.

4 comentários:

PATRICIA M. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Carlos disse...

Carlos, acabei de deixar uma resposta lá no meu blog. Excelente esse seu post aqui. Mas Joe Sharkey é um jornalista fraco demais e que anda com viseira, ou seja, o negócio dele é atacar o Brasil. Não se esqueça que Joe Sharkey ganhou dinheiro dando entrevistas DIAS após o acidente da Gol. Eu vi uma entrevista na TV e mal pude acreditar a forma como ele só defendeu os pilotos. Ele disse que os dois pilotos era HERÓIS. Repito, isso há meros dias depois do acidente entre Gol e Legacy. Não abaixemos a cabeça pra esses idiotas. Até, Carlos.

Carlos disse...

Carlos, com as informações da caixa preta (prestes a serem divulgadas) o cenário do acidente parece tomar contornos mais definidos. Parece que de fato a pista pouco contribuiu para a tragédia, mas o quão pouco isso é difícil aferir. Mais de 10 pilotos reclamaram da pista escorregadia. Se foi mesmo uma falha humana, fica no ar aquela pergunta: porque a Airbus permite que o avião tenha um reversor travado autorizando-o a voar por 10 dias????? Quem determina esse período de tempo?? Se o reversor estivesse em plenas condições, é muito provável que os pilotos tivessem operado o avião de forma correta. Talvez foram indiretamente induzidos ao erro.

Carlos disse...

Vou fazer um novo post com meus comentários, sobre estas últimas notícias.
Abraços,
(a)Carlos deste Blog